0

Nenhum produto no carrinho.

Mekukradjá Obikàrà: com os pés em dois mundos

A convite da equipe idealizadora, desenvolvemos o projeto expográfico para a exposição “Mekrukradjá Obikàrà”, que destacou as fotografias do Coletivo Beture e outros artistas indígenas.

O conceito de “Mekrukradjá Obikàrà”, traduzido como ‘cultura misturada’ em português, representa a postura das novas gerações. Este tema, escolhido pelos curadores, visa mostrar como essas novas gerações percebem a transformação de sua cultura, mantendo a reverência pela sabedoria ancestral e, ao mesmo tempo, incorporando e reinterpretando materiais e elementos da cultura dos não indígenas.

O desenvolvimento do projeto expográfico começou sem uma definição completa do conteúdo, com parte sendo produzida ao longo da própria exposição. Assumimos a responsabilidade pela primeira organização espacial das ideias, que evoluiu durante as reuniões de trabalho com a equipe. 

O mezanino do MAC de Niterói, o local da exposição, é um espaço peculiar que inspirou a criação de um fluxo expositivo, por vezes interpretado como uma metáfora do círculo aldeão, guiou a criação de um percurso que, em alguns momentos, se dirigia para espaços semelhantes a quintais e, em outros, se voltava para o centro da aldeia.

Utilizando materiais naturais como madeira, terra e fibras naturais, facilmente encontrados na cidade, o projeto propôs um contraste harmonioso com a arquitetura branca e minimalista do museu.

A exposição do Coletivo Beture ocorreu no MAC de Niterói em outubro de 2023, permanecendo em cartaz por um mês. A inclusão de filmes e vídeos como parte das comemorações dos 450 anos de Niterói e do aniversário do museu enriqueceu ainda mais a experiência do público.

Coordenação geral e direção artística: Simone Giovine
Curadoria: Coletivo Beture
Produção executiva: Karen Ituarte
Coordenação de arte e curadoria de objetos: Julia Sá Earp
Projeto Expográfico: Estúdio Guanabara
Identidade Visual: Estúdio Afluente